Logo após a Independência do Brasil, D. Pedro I tratou de "nacionalizar" as principais ordens honoríficas portuguesas então em vigor. Assim, passou-se a haver a Imperial Ordem de Avis , a Imperial Ordem de Cristo e a Imperial Ordem de Santiago da Espada , das quais apenas a última foi praticamente ignorada durante toda a fase imperial. Há, todavia, uma divergência entre autores sobre quando verdadeiramente se deve considerar essas ordens "abrasileiradas" pois, logo após a Independência, D. Pedro I passou a conceder tais honrarias sem ser o verdadeiro grão-mestre de nenhuma delas—que à altura ainda era seu pai, D. João VI . Um aspecto que contribuiu para tal confusão é o fato de que, com a chegada da Corte à cidade do Rio de Janeiro [em vez de Salvador até então capital] na América Portuguesa [Estados do Brasil e Grão-Pará] por causa da invasão napoleônica, o Príncipe Regente, futuro rei D. João VI , decidiu transformá-la na sede máxima do Governo do Império Português [sobre os 5 continentes] procurando dotá-la com todo as instituições administrativas, jurídicas e militares de governo notadamente o Tribunal do Desembargo do Paço e da Mesa da Consciência e Ordens, que só foi extinto por Lei de 22 de setembro de 1828, passando então o cargo à recente Secretaria de Estado dos Negócios do Império, também chamada de Ministério do Império. Após a partida de D. João VI de volta a Lisboa, em 1821, D. Pedro I passou a conceder as honrarias como príncipe regente, primeiramente, e como Imperador do Brasil, posteriormente. Apenas em 1827, com a morte do pai e seu reconhecimento como herdeiro aparente legítimo, é que D. Pedro I , agora como Pedro IV de Portugal, tornou-se grão-mestre das reais ordens portuguesas.

No Brasil, D. Pedro procurou então legitimar os agraciados brasileiros do período de 1822 a 1827, enviando o embaixador do país no Vaticano para obter do Papa Leão XII o reconhecimento das ordens—então de caráter religioso. Disso resultou a bula Praeclara Portugaliiae Algarbiorumque Regum, de 15 de maio de 1827, reconhecendo as ordens brasileiras. Todavia, a bula causou polêmicas tanto em Portugal quanto no Brasil, nunca vindo a ser ratificada pelo parlamento brasileiro. A partir de então, de acordo com Luís Marques Poliano , as três ordens brasileiras de origens portuguesas pararam de ter novos agraciados, caindo no esquecimento. Foram definitivamente regularizadas apenas por Decreto de 9 de setembro de 1843, o qual retirou o caráter religioso dessas ordens, tornando-as prêmios meramente honoríficos, e oficializou o Imperador, então D. Pedro II , como seu grão-mestre.

Além dessas, outras ordens foram criadas, como a Imperial Ordem da Rosa , a Imperial Ordem do Cruzeiro e a Ordem de Pedro Primeiro , considerada a mais rara de todas as ordens brasileiras do período imperial. Todas as seis ordens foram criadas ainda no Primeiro Reinado.

Contabilizando-se as quatro principais ordens durante os cinqüenta e sete anos do Segundo Reinado – de Avis , de Cristo , da Rosa e do Cruzeiro , D. Pedro II do Brasil condecorou em torno de 25.109 pessoas, entre nacionais e estrangeiros. Há que se ressaltar que, entre o Primeiro e o Segundo Reinados, houve um interregno promovido pelo Período Regencial, durante o qual os regentes estavam proibidos de conferir tanto títulos nobiliárquicos quanto honrarias, por conta da Lei Regencial, aprovada durante a chamada Regência Trina Provisória.

Nota-se que é corriqueiro encontrar pequenas variações nos desenhos dessas ordens, principalmente no que consta à coroa imperial que as encima – ora a de Pedro I , ora a de Pedro II . Um dos motivos que explicam essa variação no desenho é que os galardoados precisavam comprar as insígnias recebidas, permitindo-lhes então pequenas interferências na concepção dessas. Também, era comum a cobrança de emolumentos pelo reconhecimento do Estado, à exceção da classe militar, ou dos civis cujas distinções foram recebidas por serviços prestados em campo-de-batalha. A prática da cobrança pelos títulos recebidos não se manteve após a República.

 

Clique nos ícones abaixo e conheça melhor cada uma delas: