CONHEÇA A BANDEIRA IMPERIAL

 

Histórico:

Criada por Decreto de 18 de setembro de 1822, era composta de um retângulo verde, e nele, inscrito um losango ouro, ficando no centro deste o Escudo de Armas do Brasil.

Assistiu ao nosso crescimento como Nação e a consolidação da unidade nacional.

O autor da Bandeira do Império do Brasil, com a colaboração de JOSÉ BONIFÁCIO DE ANDRADA E SILVA foi o notável, pintor e desenhista francês JEAN BAPTISTE DEBRET - que teve grande participação na vida cultural do Brasil, no período de 1816 a 1831.

Posteriormente, nos últimos anos do Segundo Império, o Imperador Pedro II, sem ato oficial, o número de estrelas aumentou para 20, em virtude da Província Cisplatina ter sido desligada do Brasil (1829), e da criação das Províncias do Amazonas (1850) e do Paraná (1853).

 

AS 19 PROVÍNCIAS EM 1822:

PARÁ,  ESPÍRITO SANTO,  MARANHÃO,  RIO DE JANEIRO,  PIAUÍ,  MINAS GERAIS,  CEARÁ,  SÃO PAULO,  RIO GRANDE DO NORTE,  MATO GROSSO,  PARAÍBA,  SANTA CATARINA,  PERNAMBUCO,  RIO GRANDE DO SUL,  ALAGOAS,  GOIÁS,  SERGIPE,  CISPLATINA e  BAHIA.

 

Detalhes:

O Verde  – O retângulo verde está vinculado às cores da Casa de Bragança, em Portugal.

Por outro lado, simboliza o país da “eterna primavera” nas palavras de Dom Pedro I.

O Amarelo  – A explicação mais aceita é a de que esteja vinculado às cores da Casa de Habsburgo (a Imperatriz Dona Leopoldina era, originalmente, Habsburgo).

O Brasão do Império (ao centro da bandeira)

1. Os ramos vegetais  – São de café e de tabaco, duas riquezas do Império. Permaneceram, na República, no Brasão de Armas da República (ou Escudo de Armas da República).

2. A Cruz de Cristo  – Bem ao centro vê-se a Cruz de Cristo (é um dos tipos de cruz) que nos lembra Portugal e a Ordem dos Cavaleiros de Nosso Senhor Jesus Cristo, nome que, em Portugal, tomou a Ordem dos Templários. Figurava nas velas das caravelas por ser de sua origem o financiamento das navegações, já que se tratava de organização muito rica, na época dos descobrimentos.

3. A Esfera Armilar  – É o símbolo do poder majestático em Portugal e, por extensão, entre os povos de sua origem. É uma esfera formada por armilas, que são círculos metálicos. Simboliza o mundo, também.

4. A Faixa Azul Com Estrelas  – As estrelas simbolizam as províncias do Império, em número de dezenove. É sempre interessante lembrar que a maior delas era a do Grão Pará, que era formada pelos atuais estados do Pará e do Amazonas. Por isso o título constitucional do herdeiro do Príncipe Imperial (ou Princesa Imperial), que era o herdeiro presuntivo da Coroa, era o de Príncipe do Grão Pará. Para entender melhor, se S.A.I. e R. o Príncipe Dom Bertrand, atual Príncipe Imperial do Brasil por ser o sucessor do Chefe da Casa Imperial, fosse casado e tivesse filhos, o seu herdeiro teria o título de Príncipe do Grão Pará.

5. A Coroa  – Acima do Brasão de Armas está a Coroa Imperial (de formato diferente da Coroa Real).

6. A Cruz Acima da Coroa  – Significa que Deus está acima do Imperador.

Observação (1):  A bandeira é um dos símbolos nacionais. Atualmente temos por símbolos nacionais a bandeira, o hino, o selo nacional e o escudo de armas. Restaurada a monarquia teríamos além dos atuais símbolos, sem vida, um símbolo vivo que é o monarca (Imperador).

Observação (2): O Correto é o forro da Coroa Imperial ser vermelho na bandeira.

Observação (3): O Correto é o laço que une os ramos vegetais ser verde-amarelo.

 

Outros Detalhes:

 

 Clique abaixo e conheça mais: